DIVERSIDADE

Livro discute homossexualidade e religião

Lançado hoje, o livro Religiões e homossexualidades discute visões de lideranças católicas, evangélicas, judias e das religiões mediúnicas (tanto kardecistas quanto afro-brasileiras) sobre questões relacionadas à homoafetividade, como a homofobia, a polêmica do casamento gay, direitos previdenciários e adoção, com ênfase em novas propostas jurídicas. Em uma época em que movimentos religiosos fundamentalistas procuram impor seus valores ao estado laico e, ao mesmo tempo, movimentos sociais defendem direitos civis e criminalização da homofobia, a obra apresenta reflexões  para a compreensão dos embates e negociações entre as agremiações religiosas e as comunidades de gays, lésbicas e bissexuais. Organizado por Fernanda Delvalhas Piccolo e Maria das Dores Campos Machado, o livro  resultado de um ano de pesquisa apoiada pelo Ministério da Saúde e pode ser adquirido por R$ 49.00 no site do Centro Latino-Americano em Sexualidade e Direitos Humanos (Clam): www.clam.org.br.

 

Sensor detecta ataque epilético

   

Cientistas israelenses desenvolveram um dispositivo para detectar ataques epiléticos. A nova pulseira eletrônica, denominada EpiLert, funciona como um sensor que detecta os movimentos do braço associados à ocorrência de uma crise e emite sinal de alerta aos cuidadores do paciente. O dispositivo utiliza um algoritmo desenvolvido pela equipe coordenada pelo engenheiro eletrônico Amos Shaham, fundador da empresa fabricante. A epilepsia é uma condição incurável que afeta principalmente dois grupos mais vulneráveis da população – crianças pequenas e pessoas com idade acima de 65 anos. Embora na maioria dos casos a doença possa ser controlada com medicação, as crises são muitas vezes imprevisíveis, podendo levar à morte quando o paciente não é rapidamente medicado. 

Mais informações pelo link: http://www.israel21c.org/201102078733/health/swift-help-for-epilepsy

Para conselhos de psicologia, projeto de lei do ato médico não é consenso entre profissionais da saúde

Entidades pedem mais debate; abaixo, texto veiculado pelo CFP e pelo CRP-6

 

Uma tentativa de colocar o Projeto de Lei (PL) nº 268/2002, conhecido como Ato Médico, na pauta do plenário do Senado Federal em regime de urgência, sem que tenha havido consenso entre os diversos setores da área da saúde, foi realizada na tarde de quarta-feira, 1 de dezembro de 2010, quando representantes da classe médica foram ao gabinete do senador Romero Jucá (PMDB-RR), líder do governo no Senado, fazer a solicitação. Não há um texto de consenso para o PL, ao contrário do que vem sendo anunciado por setores da medicina.

A possibilidade de votação do PL a toque de caixa, no final da legislatura, preocupa as profissões da saúde, pois não foi realizada uma discussão mais ampla no Congresso e o debate, definitivamente, não foi amadurecido na sociedade brasileira, que é a maior prejudicada pelas mudanças. O projeto, tal como está, interfere diretamente no funcionamento do Sistema Único de Saúde (SUS) e, se aprovado, afetará a todos os usuários do serviço. Ademais, o projeto ainda não passou por todas as comissões no Senado.

Em reunião com o presidente do Senado Federal, José Sarney, na terça-feira, 23 de novembro, representantes de conselhos profissionais, fóruns e associações de profissionais e usuários da saúde expuseram suas preocupações em relação ao PL. Na ocasião, Sarney assegurou que o projeto não entraria na pauta em regime de urgência e reconheceu que o assunto é controverso. "Não vamos colocar em urgência, estou vendo que é um assunto controvertido", afirmou o presidente do Senado.

Estiveram na reunião conselheiros do Conselho Nacional de Saúde (CNS), representantes do Fórum das Entidades Nacionais dos Trabalhadores da área da Saúde (Fentas), da Confederação Nacional dos Trabalhadores na Saúde (CNTS), dos Conselhos Federais de Psicologia (CFP), de Fisioterapia e Terapia Ocupacional (Cofito), de Fonoaudiologia e de Enfermagem. O movimento contra o projeto de lei do Ato Médico reúne entidades e associações de diversas profissões da saúde.

O chamado Ato Médico interfere na autonomia do trabalho das profissões da saúde e causa danos ao SUS ao prejudicar o atendimento integral à saúde da população. O debate é essencial para que seja garantida à sociedade o direito do atendimento multiprofissional.

 

 Conselho Federal de Psicologia (CFP)

 

Conselho Regional de Psicologia - 6ª Região (CRP-6)

 

Projeto Diversidade Sexual na Escola seleciona consultores

O Projeto Diversidade Sexual na Escola está selecionando consultores para auxiliar na construção de material de orientação para educadores, com foco no currículo e na prática pedagógica. Os aprovados terão de pesquisar referências bibliográficas, fazer um levantamento de materiais e atividades didático-pedagógicas e produzir textos que subsidiem a produção de material relacionando a questão da diversidade sexual e de gênero a áreas curriculares específicas. O relatório deverá ser entregue em até um mês após o início do trabalho.

REMUNERAÇÃO

Os/as selecionados/as receberão, como prestadores de serviço, uma parcela única de R$ 1.700 no momento da entrega do relatório final. Essa consultoria não gera vínculo empregatício.

COMO SE CANDIDATAR

Podem se candidatar pessoas com graduação concluída, preferencialmente com especialização/mestrado/doutorado.

Os/as candidatos/as podem ser residentes do Rio de Janeiro ou não, desde que tenham amplo acesso a meios de comunicação digitais e eventual possibilidade para viagem.

Os/as candidatos/as devem enviar mensagem eletrônica para o endereço bortolini@pr5.ufrj.br colocando no assunto CONSULTOR + ÁREA A QUE SE CANDIDATA e em anexo a seguinte documentação:

- Dados pessoais (constando inclusive endereço e telefone)
- Currículo atualizado (modelo lattes)
- Pequeno ensaio de até 2 laudas + bibliografia, explanando sobre as possibilidades de trabalho didático-pedagógico da questão da diversidade sexual e de gênero na área curricular específica a que está se candidatando.

A documentação pode ser enviada até dia 21 de novembro de 2010. A previsão é que a divulgação dos resultados ocorra no início de dezembro.

VAGAS

01 Área curricular: Ciências Sociais (ensino fundamental e médio)
01 Área curricular: Ciências Biológicas (ensino fundamental e médio)
01 Área curricular: Língua Portuguesa, Literatura e Redação (ensino fundamental e médio)
01 Área curricular: Ciências Exatas (ensino fundamental e médio)
01 Área curricular: Educação Física
01 Área curricular: Artes (plásticas, digitais, musicais e cênicas)
01 Área curricular: Educação Infantil

Dúvidas e informações: (21) 2598-1892
Projeto Diversidade Sexual na Escola
Universidade Federal do Rio de Janeiro
(21) 2598-1892 / 2598-9695
www.diversidade.papocabeca.me.ufrj.br

 

Pesquisadores descobrem o gene da dor

 

Um grupo formado por cientistas de várias nacionalidades identificou o gene responsável pela suscetibilidade à dor crônica, abrindo novas perspectivas de tratamento desse mal que afeta cerca de 20% dos adultos em todo o mundo e pode variar da dor de cabeça persistente, dor nas costas, dor da artrite e até mesmo dores psicogênicas. Embora se saiba que algumas pessoas são mais suscetíveis do que outras a esse desconforto crônico, ninguém sabia as razões disso. Agora, pesquisadores da Universidade Hebraica de Jerusalém, da Universidade de Toronto, do Canadá, da Sanofi-Aventis, da Alemanha, e do Centro de Biologia Oral do Instituto Karolinska, da Suécia, acreditam ter encontrado a resposta na genética. “O significado imediato é a consciência de que as diferenças na percepção da dor podem ter uma predisposição genética”, diz o professor Ariel Darvasi Alexander Silberman, do Instituto de Ciências Biológicas da Universidade Hebraica. A descoberta pode fornecer insights para o tratamento da dor crônica com mecanismos até hoje não pensados”.  Em um relatório publicado na semana passada na Genome Research, Darvasi e seus colegas identificaram uma região do cromossomo 15 do rato que provavelmente continha uma ou mais variantes genéticas que contribuem para a dor. Eles identificaram o gene Cacgn2 como o provável candidatoEm experimentos com ratos, os pesquisadores confirmaram que o Cacgn2 tem um papel funcional na dor. Para saber se a versão humana do gene também tem algum um papel na dor crônica, os cientistas analisaram um grupo de pacientes com câncer de mama que apresentaram dor crônica mais de seis meses depois de terem sido submetidas à remoção ou remoção parcial da mama. Descobriu-se que as variações genéticas do Cacng2 foram significativamente associadas a essa dor crônica.

   

Mais informações no link:

http://www.israel21c.org/201008238246/health/the-gene-at-the-heart-of-pain

NEUROLOGIA

Estudos sobre epilepsia são premiados

Três pesquisas desenvolvidas na Faculdade de Ciências Médicas (FCM) nas áreas de genética, clínica médica e cirurgia lançam novas esperanças para o tratamento e o diagnóstico da epilepsia. Os trabalhos, que integram o projeto de Cooperação Interinstitucional de Apoio a Pesquisas sobre o Cérebro (Cinapce), foram coordenados pelos professores Fernando Cendes, Íscia Lopes-Cendes e Cláudia Vianna Maurer Morelli e ficaram entre 13 pesquisas selecionadas das mais de quatro mil inscritas no último Congresso Americano de Neurologia, ocorrido recentemente no Canadá. Seus autores, Renato Oliveira dos Santos, Marina Coelho Gonsales e Clarissa Lin Yasuda, receberam o prêmio “International Scholarship Award”, destinado a jovens pesquisadores.

Leia: http://www.unicamp.br/unicamp/unicamp_hoje/ju/agosto2010/capa472.php

 

PESQUISA

Causas infecciosas e autoimunes da doença de Parkinson

Pesquisas apontam novas evidências de que a doença de Parkinson pode ter origem infecciosa ou autoimune. A novidade foi publicada neste domingo na revista Nature Genetics. Um estudo identificou a relação genética entre o sistema imunológico e a doença progressiva e incurável. Os cientistas examinaram mais de 2 mil pacientes com a patologia em quatro estados americanos e outros 2 mil voluntários sem a doença. Foram avaliados fatores clínicos, genéticos e ambientais que poderiam contribuir para o desenvolvimento e a progressão da doença e de suas complicações, sendo que alguns foram acompanhados por quase 20 anos. Os pesquisadores descobriram uma nova associação da doença com a região HLA (sigla em inglês para “antígenos leucocitários humanos”), que contém um grande número de genes relacionados à função imunológica. Os genes HLA são essenciais para o reconhecimento de invasores nos tecidos do corpo. Mas o funcionamento não é sempre perfeito, uma vez que os genes variam muito de pessoa a pessoa. “Certas variantes dos HLA estão associadas com um aumento no risco ou na proteção contra doenças infecciosas, enquanto outras podem induzir distúrbios nos quais o sistema imunológico ataca tecidos do próprio corpo”, disse Cyrus Zabetian, professor da Universidade de Washington, um dos coordenadores do trabalho. Outra doença neurológica causada pela autoimunidade, a esclerose múltipla, também está associada com os HLA. A variante genética vinculada ao Parkinson e à esclerose está na mesma região. De acordo com a pesquisa, investigar a conexão entre essas doenças e inflamações, especialmente considerando a a importância de um marcador genético variável, pode levar ao desenvolvimento de medicamentos melhores e mais seletivos para o tratamento da doença.

O artigo Common genetic variation in the HLA region is associated with late-onset sporadic Parkinson's disease (doi:10.1038/ng.642), de Haydeh Payami e outros, pode ser lido por assinantes da Nature Genetics em www.nature.com/ng.

SAÚDE MENTAL

 

Pinel reúne música, artesanato e comida em seu 1º Festival de Inverno

 

Evento neste sábado tem como objetivo promover a reinserção social de pacientes psiquiátricos

 

 O Caism (Centro de Atenção Integrada à Saúde Mental) Philippe Pinel, da Secretaria de Estado da Saúde de São Paulo, realiza neste sábado, 17 de julho, das 13h às 17h, seu primeiro Festival de Inverno. O evento, com entrada gratuita, é aberto à população e tem o objetivo de promover a reinserção social dos pacientes psiquiátricos. Com direito a feira de alimentação e de artesanato, o festival terá apresentação de violão clássico e de solistas do Coral Sacro da Lapa. Na feira de artesanato serão apresentados os trabalhos dos pacientes do Pinel e de outras unidades psiquiátricas do Estado. Na feira de alimentação haverá barraquinhas de churrasco, cachorro quente, pastel, salgados, doces e bolos, além de carrinho de algodão doce e pipoca. “Será sem dúvida uma tarde diferente e agradável. Com esse festival queremos promover maior integração entre os pacientes e a comunidade”, diz o diretor técnico do Pinel, Eduardo Augusto Guidolin. O Caism Pinel fica na avenida Raimundo Pereira de Magalhães, 5214, em Pirituba.

PESQUISA

Convívio com animais favorece sistema imunológico e reduz estresse

 

A convivência com animais de estimação pode contribuir não só para o bem-estar psicológico, mas também para a prevenção e tratamento de várias patologias. A conclusão tem como base a revisão de estudos nacionais e internacionais sobre o tema, realizado por pesquisadores do Departamento de Psicologia Experimental da Universidade de São Paulo (USP), liderado pelo professor César Ades. Os cientistas destacam, por exemplo, a melhora da imunidade de crianças e adultos, a redução dos níveis de estresse e da incidência de doenças comuns, como dor de cabeça ou resfriado. O objetivo do mapeamento, encomendado pela Comissão de Animais de Companhia (Comac), integrante do Sindicato Nacional da Indústria de Produtos para Saúde Animal (Sindan), era enfatizar informações relevantes e pouco conhecidas sobre os benefícios sociais, psicológicos e físicos na relação entre o homem e o animal.

De acordo com o levantamento, as vantagens independem da idade. Os pesquisadores da USP citam, por exemplo, um trabalho que identificou vários benefícios aos bebês que convivem com cães. Certas proteínas que desempenham um importante papel na regulação do sistema imunológico e das alergias aumentam significativamente em crianças de um ano quando expostas precocemente à presença de um cão. Segundo a pesquisadora Carine Savalli Redígolo, este trabalho mostra que o convívio possibilita aos bebês ficar menos suscetíveis às alergias e dermatites tópicas. “Também foi observada a redução de rinites alérgicas por volta dos 4 anos e dos 6 aos 7, devido à redução da imunoglubina E, um anticorpo que quando em altas concentrações sugere um processo alérgico”, afirma. De acordo com a pesquisa ainda há resistência de pessoas com filhos pequenos adquirirem um animal de estimação: 44% das residências que têm pelo menos um pet são de casais com filhos jovens ou adolescentes; este número cai para 16% quando se trata de famílias com crianças até 9 anos. Um gesto simples pode trazer importantes efeitos ao sistema imunológico de pessoas de qualquer idade. “Acariciar um cão pode elevar os níveis de imunoglobulina A, um anticorpo presente nas mucosas que evita a proliferação viral ou bacteriana, sendo importante na prevenção de várias patologias. Este resultado se deve, possivelmente, ao relaxamento que o contato com o animal proporciona”, explica Carine.

            Outros estudos identificados pelos pesquisadores da USP também avaliaram as taxas de sobrevivência, no ano posterior a um infarto agudo do miocárdio, em donos de cães, gatos e outros animais de estimação e em pessoas que não possuíam bichos. Segundo os pesquisadores, depois de determinado período, verificou-se que a posse de um cão contribuiu significativamente para a sobrevivência dos pacientes, pelo menos no ano seguinte ao incidente. Já no controle de hipertensão arterial, os estudos também apontam benefícios. Profissionais que viviam em condições de estresse e faziam controle do problema com medicação foram divididos em dois grupos: os que tinham cachorro ou gato e os que não possuíam animais. A pesquisadora Maria Mascarenhas Brandão afirma que, seis meses depois do início do monitoramento, foi constatado que as taxas de pressão sanguínea diminuíram para ambos os grupos. Entretanto, nas situações geradoras de estresse a resposta foi melhor para os donos de cães. Além disso, este grupo aumentou significativamente suas taxas de acertos em contas matemáticas, em relação àqueles que não possuíam os animais.

 

MULHER

Falta de desejo sexual afeta 70% das pacientes atendidas na ginecologia do HC

 

Não existe medicamento que, comprovadamente, aumente a libido feminina; antidepressivo pode aumentar sintomas

 

A maioria das mulheres que sofre de falta de desejo sexual e recorre medicamentos para tentar recuperar a libido não tem nenhum problema físico que justifique o problema. A dificuldade está atrelada a questões psíquicas. “Em 90% dos casos a questão psicológica e não orgânica; drogas como antidepressivos podem até inibir o desejo sexual”, afirma a ginecologista Elsa Gay, do Hospital das Clínicas da Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo (FMUSP), ligado à Secretaria de Estado da Saúde. Ela observa, porém, que não existe nenhuma medicação para aumentar a libido feminina que tenha eficácia comprovada. “No setor de Ginecologia do HC, 70% das mulheres atendidas no ambulatório alegam ter perdido a libido e quando o sexo deixa de proporcionar prazer, é sinal de que algo está errado. A correria, o estresse do trabalho e a preocupação com os filhos e com a casa são grandes vilões da sexualidade. Quando há crises no relacionamento, a mulher se fecha para a vida sexual”, afirma. Ter um bom conhecimento do próprio corpo também é essencial para uma vida sexual satisfatória. Segundo a médica, a maior incidência de mulheres que sofrem com a falta de desejo sexual está entre as que já passaram pela menopausa, mas o problema pode atingir a mulher em qualquer idade. Nesses casos, o acompanhamento psicoterápico é fundamental para a descoberta (ou o reencontro) da autoestima e da própria capacidade de sentir prazer.

FORMAÇÃO

UERJ tem curso inédito de psicologia evolucionista   


A teoria da evolução por meio da seleção natural deixou, recentemente, os domínios exclusivos da biologia, e atualmente dá suporte a argumentos em áreas tão variadas quanto a psicologia, a economia, as ciências sociais e a filosofia. Com isso, a psicologia evolucionista é considerada um dos mais importantes desenvolvimentos na área das ciências do comportamento nos últimos 20 anos. A abordagem propõe que a mente humana funciona com base em mecanismos psicológicos evoluídos, que seriam características universais de nossa espécie, evocativas do ambiente ancestral no qual ela evoluiu. Tais mecanismos consistem em emoções, preferências e propensões, selecionadas porque ajudaram nossos ancestrais a sobreviver e reproduzir no passado.

    Uma vez que o ambiente moderno mudou radicalmente em relação àquele que seria o berço dessas adaptações, temos que nos perguntar se estes mecanismos ainda permanecem, e se nossos comportamentos refletem essas adaptações. Com o objetivo de introduzir conceitos e pressupostos fundamentais da psicologia evolucionista, apresentando estudos clássicos e evidências empíricas atuais desta abordagem, o Instituto de Psicologia da Universidade Estadual do Rio de Janeiro (UERJ) oferece o curso Introdução à Psicologia Evolucionista. As aulas são destinadas principalmente a profissionais e estudantes das áreas de psicologia e biologia. As aulas serão aos sábados, de 24 de julho a 25 de setembro de 2010, das 9h às 13h. O custo é de R$ 400,00, divididos em duas parcelas. As inscrições podem ser feitas pela internet, no site do Centro de Produção da UERJ, www.cepuerj.uerj.br, até o dia 19 de julho. Para mais informações, acesse a página do Centro de Produção www.cepuerj.uerj.br, envie um e-mail para cepuerj@uerj.br ou telefone para (21) 2334-0639.

TESE

Fisioterapeuta avalia desenvolvimento motor de bebês

Bebês pequenos para a  idade  gestacional (chamados de PIG pelos  especialistas)  apresentam grandes riscos de ter prejuízos no desenvolvimento motor  ,  principalmente se o ambiente  familiar  for desfavorável. Uma  avaliação realizada pela fisioterapeuto Denise Campos, na Faculdade de Ciências Médicas (FCM) da Universidade de Campinas (Unicamp), com 95 bebês apontou que os nascidos PIG apresentaram diferenças significativas no desenvolvimento motor nos primeiros meses de vida em relação a crianças adequadas para a idade gestacional, denominadas AIG.

Leia mais: http://www.unicamp.br/unicamp/unicamp_hoje/ju/junho2010/ju467pdf/Pag08.pdf

PESQUISA

Estudo desvenda ação  protetora da interleucina em crises de epilepsia

O processo inflamatório que age durante as crises de  epilepsia  causa prejuízos traz benefícios ao sistema nervoso  central (SNC)? Há  controvérsias na  literatura. Muitos pesquisadores acreditam que a proteína interleucina-1-beta (IL1-B), quando aumentada, causa convulsões. Outras correntes defende o oposto. Mas os resultados encontrados na tese de doutorado do biólogo Vinicius D’Ávila Bitencourt Pascoal, defendida na Faculdade de Ciências Médicas  (FCM) da Universidade de Campinas (Unicamp),  indicam que a protína pode ter ação protetora contra as crises, particularmente na epilepsia do lobo temporal, que representa 50% de  todas  as  epilepsias  existentes. De forma geral, a patologia afeta  2%  da  população mundial. Esses  achados  ganharam ainda maior  sustentação  com o uso da técnica de interferência por RNA, ao  promover  a modulação  dessa proteína  ligada  aos  processos  inflamatórios  usando  uma  via  endógena (do próprio organismo),  sem necessidade  de  cirurgia. (Com informações da Assessoria de imprensa da Unicamp)

Leia mais: http://www.unicamp.br/unicamp/unicamp_hoje/ju/junho2010/ju467pdf/Pag04.pdf

ARRAIAL

 

Pinel faz festa junina para pacientes

 

Funcionários e internos da unidade de Pirituba do Hospital Psiquiátrico Pinel organizaram uma festa de São João no centro de saúde mental para a sexta-feira, 25 de junho. Haverá quadrilha e barracas com comida típica. Segundo o diretor técnico da unidade em São Paulo, Eduardo Guidolin, eventos lúdicos, como o Arraial da Copa contribuem para o processo de reinserção social dos internos. A comemoração é aberta ao público e começa às 17h. Bebidas tradicionais como vinho quente e quentão serão servidas sem álcool. O Pinel fica na Rua Padre Rodrigues, 139, em Pirituba, na zona oeste de São Paulo. Informações pelo telefone (11) 3974-7015.

PESQUISA

Bolsas de estudo para universitários

A Fundação de Apoio ao Instituto de Pesquisas Tecnológicas (FIPT) divulgou nova chamada para concessão de bolsas a estudantes de nível superior das áreas de pesquisa, desenvolvimento tecnológico e inovação. Serão selecionados 20 projetos de pesquisa que serão contemplados com bolsas de iniciação tecnológica no valor de R$ 420, com duração de um ano. Os interessados devem apresentar um projeto aprovado por um orientador da universidade em que estuda e um orientador do quadro do IPT. A proposta deve ser submetida à comissão da entidade até o dia 13 de agosto. Os resultados serão divulgados no dia 27 de agosto e as atividades de pesquisa terão início no dia 1º de setembro. O programa de iniciação tecnológica tem como objetivo formar profissionais que aumentem a capacidade inovadora do setor produtivo. As propostas devem ser encaminhadas para a FIPT, no endereço Av. Professor Almeida Prado, 532, prédio 11 – 1º andar – Sala “Gestão do Termo de Cooperação IPT X FIPT”, Cidade Universitária, Butantã, CEP 05508-901, São Paulo, SP, aos cuidados de Izabel Cristina Pires – Recursos Humanos. (Com informações da Agência Fapesp)

Mais informações: www.fipt.org.br/novo/eventos.htm ou izabelp@fipt.org.br.

[ ver mensagens anteriores ]